Jornal Omint - Outubro/2006
       
     
 
   
Para especialistas, não há restrições. Pelo contrário.
 

O mito de que mulher grávida não deve ir ao dentista porque o tratamento pode fazer mal ao bebê faz com que muitas mulheres adiem a visita ao consultório.
“Não há qualquer restrição nesse período” diz a dentista Maria Salete Pires Corrêa, professora de odontopediatria da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (Fousp). ”As gestantes não só podem como devem ser tratadas.” Outra lenda é a restrição às anestesias. “O mais aconselhável é ter cuidado no primeiro trimestre. Mas se for urgente, a anestesia pode ser dada, sem problemas”, afirma a
professora. “O melhor período para fazer um tratamento dentário é entre o quarto e o sexto mês. A partir do oitavo, já não é aconselhável pela proximidade com o nascimento, o que pode provocar
estresse.”

 
A orientação para as grávidas é a mesma para qualquer pessoa: prevenção. Durante a gestação, a dica é cuidar muito bem da higiene bucal e, nas visitas ao dentista, fazer aplicações de flúor. “Assim, a mamãe não estará só cuidando de seus dentes, mas também do próprio filho”, diz Maria Salete. E nunca é demais lembrar que doces e chás adocicados em excesso favorecem o surgimento de cáries. Assim como beber muito refrigerante ou suco de frutas ácidas pode provocar erosões no esmalte dos dentes.

O consultório do dentista também é o lugar onde a futura mãe pode receber informações sobre os primeiros cuidados com o filho, desde a melhor posição para amamentar e o estímulo à sucção – que vão determinar uma boa estrutura da arcada dentária – até à higiene bucal e à mastigação.