Jornal Omint - Outubro/2006
       
     
 


A maternidade é um momento único na vida da mulher. Durante noves meses ela se transforma para receber o bebê e idealiza o momento em que irá encontrar o seu filho. A amamentação marca esse encontro.

Desde a Antiguidade, a figura materna é uma das grandes fontes de inspiração das artes. Representada como símbolo de mistério e fertilidade, aparece não só na imagem da mulher e seu filho, como nas madonnas de Michelangelo (século XV) ou na “Mãe Coragem”, de Brecht (1939). Antes das artes, a mãe aparece associada à natureza, à colheita, ao cultivo e ao fluxo da vida que sempre se renova. Em todas as culturas, enfim, a mulher e o seio que alimenta o filho demonstram o papel de quem gera filhos e os faz crescer. Os seios dessa mãe carregam em si um mistério que os artistas até hoje tentam desvendar.

E não é só na arte que esse alimento é sagrado. Na vida real, o leite materno promove o milagre da saúde e da troca de afeto entre mãe e filho. Amamentar é o momento em que essa mãe se entrega para que o filho continue o ciclo. Não é simplesmente dar comida. É proteger e dar amor.

O pediatra é um amigo
Hoje em dia os médicos compreendem que é o filho quem decide quanto e quando precisa mamar. E a mãe tem de estar ali, disponível. Até o quarto mês de vida o bebê deve ser alimentado exclusivamente pelo leite materno. E a partir daí é que começa a receber alimentos sólidos e em seguida a substituição gradual para o leite de vaca ou soja. O pediatra, nesse momento, não é um simples médico que avalia o peso e o crescimento de um bebê, mas um amigo, que aconselha, conforta e ajuda a mãe a cuidar do filho.

Tudo o que uma criança precisa para crescer com saúde é determinado no primeiro ano de vida. Para se ter uma idéia da importância desse período, do nascimento até completar um ano, o peso triplica. Cuidar de um filho é tarefa para a vida toda. Dar amor é dar proteção eterna

ADALBERTO STAPE, Pediatra formado pela Universidade de São Paulo e responsável pelo Centro de Terapia Intensiva Pediátrica do Hospital
Albert Einstein. Autor do livro Terapia Intensiva, Pediatria e Neonatologia
(Editora Atheneu).