Entenda os principais pontos sobre como o seu Omint Seguro Viagem se comportará durante a pandemia.

Frente à pandemia da Covid-19, nossas unidades estão atendendo em horários especiais, prezando pela segurança e bem-estar de todos.

COVID-19
Seguros de Vida Omint garantem pagamento de indenizações para eventos cobertos, mesmo os causados pelo novo coronavírus.

Jornal Omint | Vida e Dinheiro |

Seguro de vida: existe o melhor momento para contratar?

Um seguro de vida é essencial para os mais diferentes perfis sociais e pode se adequar aos diferentes momentos da sua vida.

18/09/2020

Um seguro de vida é essencial para os mais diferentes perfis sociais e pode se adequar aos diferentes momentos da sua vida. Quem quer fazer um planejamento financeiro sólido deve incluir essa solução na lista de prioridades, independentemente da fase da vida.

 

Mas, ainda assim, é possível que você não esteja convencido de que precisa de uma apólice – e muitos termos do segmento de seguros podem te assustar. Neste texto, explicamos de forma direta por que o seguro de vida é fundamental para os mais diferentes perfis e para as várias fases ao longo da sua jornada.

 

E-book: Baixe para saber o que levar em consideração ao contratar seguro de vida

 

Por que ter um seguro de vida?

Antes de tudo, é importante lembrar o papel do seguro de vida no seu planejamento. Esse é um produto de proteção familiar, que se torna essencial para amenizar momentos difíceis e inesperados da vida. Diariamente, acompanhamos histórias de famílias que ficam desamparadas com uma perda de um ente querido e ainda precisam lidar com questões financeiras.

 

Também são comuns histórias pessoas que sofrem acidentes e ficam impossibilitadas de trabalhar com o mesmo desempenho de antes, seja por precisarem passar por uma recuperação ou pela invalidez. O seguro de vida ajudará a vivenciar esses momentos com menos preocupações e com o foco no que realmente importa.

 

No Brasil, é muito usual que as pessoas contratem um seguro assim que compram um carro, uma casa ou até mesmo um smartphone de última geração. Mas, no caso da proteção à vida, muitos ainda negligenciam a importância de ter um produto como esse.

 

Os motivos ou desculpas para não contratar são os mais diversos: por falta de conhecimento dos benefícios, pelo desconforto em planejar o futuro, por achar que algum outro produto ou reserva financeira poderá fazer esse papel. Aqui vamos desconstruir essas ideias independente da fase da vida em que você se encontra e do seu perfil.

 

Em vídeo: Por que ter um seguro de vida? Com Finanças Femininas

 

]

Seguro de vida para te proteger agora

O ingresso no mercado de trabalho traz muitas outras responsabilidades e oportunidades, como uma vida financeira mais independente. Nesse momento da vida, muitas pessoas sequer cogitam contratar um seguro de vida, pois acreditam que é um produto para quem já constitui família ou patrimônio.

 

Pessoas jovens ou no início de uma jornada financeira – sejam solteiros ou não, com filhos ou não, com patrimônio ou não – precisam pensar no seguro de vida pela proteção que ele oferece em caso de eventos que podem tirar toda a sua capacidade de gerar renda.

 

Uma invalidez permanente parcial, total ou até mesmo um diagnóstico de doença grave e internação hospitalar, podem ocasionar em custos altos. Ter uma reserva financeira pode ajudar nesses casos. Mas, pense bem, você gostaria de usar um dinheiro que economizou e investiu para cobrir algum evento como esse?

 

O seguro de vida é a solução adequada para que, após um obstáculo, você consiga retomar seus sonhos. É possível receber recursos em vida, garantindo a realização do planejamento inicial.

 

Além disso, coberturas como diária de internação hospitalar e Invalidez por Acidentes podem fazer toda a diferença na vida de profissionais autônomos, que, com o seguro de vida, podem garantir renda nesses casos.

 

Outro ponto importante para saber é que existem seguros de vida na modalidade individual e na modalidade empresarial. Como o nome diz, o seguro de vida individual é para pessoas físicas e contratado por uma pessoa que definirá as coberturas e beneficiários diretamente com a seguradora.

 

Já o seguro de vida em grupo ou coletivo, é oferecido pelas empresas como benefício para seus colaboradores e, em alguns setores, para cumprir com a legislação para proteger funcionários de riscos da atividade exercida.

 

No entanto, é possível lembrar que em caso de saída do emprego ou demissão, você perde esse a apólice. Além disso, por ser consolidado diretamente pela companhia junto à seguradora, o contrato tem coberturas abrangentes e não específicas para cada profissional. Mesmo que a empresa que você trabalha ofereça esse benefício é importante buscar uma opção completa que reúna todas as suas necessidades em uma apólice individual.

 

Em vídeo: Seguro de vida é para mim? Com Finanças Femininas

 

Seguro de vida para planejar o futuro dos filhos

seguro de vida perfis

 

Na vida adulta, muita gente consegue fazer uma organização financeira, conhecer produtos de investimento e constituir patrimônio. Mas nem sempre isso significa que as pessoas entendem a importância do seguro de vida.

 

Há quem pense que seguro de vida sobrepõe outro investimento ou acaba confundindo com alguma plano de previdência privada, por exemplo. No entanto, esses são produtos complementares e precisam ser vistos de forma separadas, cada um com seu importante papel na sua jornada.

 

O seguro de vida não tem relação direta com seu projeto de aposentadoria, mas está relacionado a saber onde recorrer em casos de emergências, possibilitando que o dinheiro aplicado ou direcionado para a aposentaria fique disponível, de fato, para atender às suas necessidades na melhor idade.

 

Por outro lado, nessa fase da vida, se você tem filhos talvez seja mais fácil entender um dos principais benefícios do seguro de vida, pois um dos seus objetivos é oferecer tranquilidade para desfrutar dos momentos em família. Afinal, quando temos dependentes existe uma grande preocupação em sempre oferecer o melhor para eles, mesmo que você não possa mais estar presente.

 

Além de ter um seguro de vida garantir o sustento dos filhos caso você vier a faltar, há coberturas específicas que podem ser incluídas na apólice. Uma delas envolve despesas educacionais e até com babás. Por isso, é muito importante você personalizar o seu seguro de acordo com as características do seu estilo de vida.

 

Ao conversar com um profissional especializado, descreva em detalhes as atividades de risco que você se expõe, seja no trabalho ou em hobbies (como esportes). Também é importante descrever histórico de saúde, como cirurgias e internações passadas.

 

As informações detalhadas fazem todo o sentido para ter uma apólice compatível com as suas necessidades e são essenciais para saber quanto custará o seu seguro. Se houver omissão de dados como esses, a seguradora pode se recusar a pagar a indenização em caso de sinistro, prejudicando seus familiares ou outros beneficiários.

 

Em vídeo: Longevidade financeira | Com Ana Leoni

 

Seguro de vida para cuidar do legado e do patrimônio

E quando chegar na fase chamada de melhor idade, o seguro de vida terá outro foco. Nesse ponto, será importante que você já tenha explicado aos herdeiros o quanto o seguro de vida pode ser fundamental ao longo de uma vida feliz e saudável. Afinal, seus filhos precisarão estar bem instruídos para contratarem suas próprias apólices.

 

Um fato importante sobre o seguro de vida é que a maioria das seguradoras impõe restrições para a contratação do seguro de vida após os 65 anos de idade. Isso porque a seguradora faz o cálculo do prêmio (valor a ser pago mensal, semestral ou anualmente) com base nos riscos envolvidos. O avanço da idade é um desses fatores.

 

Portanto, como já apontamos aqui no blog, é vantajoso fazer o seguro de vida o mais cedo possível, o que garante a chance de assumir um capital segurado mais alto e com prêmios mais baixos. Há apólices cujo valor é menor do que R$ 100 ao mês.

 

Outro grande benefício do seguro de vida é que ele reduz conflitos entre herdeiros – que não necessariamente são herdeiros legais, e sim aquelas pessoas que foram determinados como beneficiários na apólice.

 

De acordo com o Código Civil Brasileiro, o seguro de vida não é considerado uma herança. Isso significa que não faz parte de bens que integram o espólio e não precisa passar por inventário em caso de morte do segurado.

 

Com isso, o dinheiro da indenização é liberado muito mais rápido. Por regra da Superintendência de Seguros Privados (Susep), o valor deve ser liberado em até 30 dias após a apresentação da documentação exigida.

 

Isso oferece liquidez com valores isentos de imposto de renda e dos custos de transmissão de bens. Tudo isso permite, inclusive, que os beneficiários tenham tranquilidade para a manutenção do padrão de vida e para fazer uma organização de outros bens deixados

 

Como contratar um seguro de vida?

Em resumo, ao longo da vida, essa solução vai te ajudar a proteger sua capacidade de gerar renda, de manter o padrão de vida da família, de acumular recursos financeiros e de deixar um legado. Mas para contratá-la você precisa estar atento a todos os pontos que abordamos aqui no texto.

 

Além disso, é essencial procurar um corretor habilitado e que ofereça informações focados em seu perfil, não apenas no produto que ele deseja vender. Nossa última dica é que você veja mais conteúdos que vão te ajudar na tomada de decisão no site da Omint sobre seguro de vida individual.