Jornal Omint | Viagem e Cultura |

Para cuidar da gente

Para cuidar da gente “Coloque a máscara antes em você para depois ajudar os outros.” A instrução de segurança no avião nos lembra que cuidar de si é o primeiro passo para poder cuidar de alguém.

12/11/2018

Para cuidar da gente
“Coloque a máscara antes em você para depois ajudar os outros.”
A instrução de segurança no avião nos lembra que cuidar de si
é o primeiro passo para poder cuidar de alguém.

Por Gabriela Aguerre

 

Ainda bem, existem neste mundo lugares feitos para cuidar da gente. Neles, você chega, faz o check-in e se deixa levar, como quem anda em uma esteira mecânica sem se preocupar com o destino. Talvez lidando com algumas decisões pelo caminho: terapia de pedras quentes ou massagem sueca relaxante? Hidratação corporal ou shiatsu? Hamman ou hidromassagem? Caminhada ou meditação? A bordo de um roupão acolchoado, segue guiado por especialistas que têm uma única ocupação: cuidar de você. Confira algumas dicas sedutoras…

 

Thai abrasileirado
Com grife própria, associados a marcas de cosméticos ou como franquias de renomados centros de tratamento estético, hotéis de luxo continuam inovando no segmento spa. Mesmo não-hóspedes podem buscar refúgio em lugares como o Anantara Spa, do Tivoli São Paulo Mofarrej (tivolihotels.com/pt/tivoli-mofarrej-sao-paulo/spa), que pertence a uma rede tailandesa de hotéis e resorts de luxo na Ásia, África e Oriente Médio. Além das massagens tradicionais, há modalidades curiosas, como “experiência revitalizante com açaí” ou “jornada rejuvenescedora com manga”. Cupuaçu e argila da Amazônia também estão entre os ingredientes.

 

 

Segredos do jardim
O cuidado com a matéria-prima que vai cuidar de você é notório no Uxua Casa Hotel & Spa (uxua.com), de Trancoso, Bahia. Ali, os produtos utilizados são caseiros e até cultivados no próprio jardim: óleo de coco, manteiga de carité e castanha-do-pará fazem parte do cardápio de ingredientes usados nas massagens e limpezas corporais. Tudo com a “assinatura Uxua”, como se orgulham em dizer. E aí se incluem a massagem relaxante com óleo de alméscar (uma resina que provém da casca da almecegueira), o tratamento de reparação da pele após a exposição ao sol com óleo de coco fresco extravirgem e a limpeza de pele facial com cacau baiano.

 

 

 

London, London
Premiado mundialmente, o Aman Spa at The Connaught (the-connaught.co.uk/aman-spa) é um must-go. Trata-se do primeiro spa Aman localizado fora de um resort Aman. Como fica em plena Londres, dentro de um grande hotel de negócios, pode ser chamado de um oásis urbano. Uma de suas bandeiras é saber cuidar dos “viajantes fadigados”, com tratamentos que atenuam o jet lag e massagens revigorantes que beneficiam a circulação. Seus terapeutas usam técnicas mistas de várias partes do mundo e produtos como sálvia, erva-cidreira e argila. Tem uma piscina ionizada, ou seja, que recebe a aplicação de ozônio, o que evita desidratação da pele e dos cabelos, olhos irritados, coceiras e transmissão de doenças infecciosas e micoses.

 

 

Bora pra Bora Bora?
Tratamentos à base de pérolas negras do Taiti, máscaras feitas com algas orgânicas retiradas das águas mais puras do oceano, terapeutas treinados nas melhores escolas especializadas do mundo… Em termos de sofisticação, os spas do Four Seasons são quase imbatíveis. Mas o Four Seasons Resort Bora Bora (fourseasons.com/borabora/spa) meio que supera os demais endereços da rede, pois fica numa das ilhas da Polinésia Francesa que parece um cenário de sonhos. Você nem precisa sair do seu bangalô para receber uma massagem ou um tratamento estético. Mas vale muito a pena ir até as dependências do spa propriamente dito, no terraço ao ar livre, ficar na banheira de imersão, olhando a paisagem…

 

 

 

Chic e high-tech
Hotéis à parte, há spas que são destinos em si. Nesses templos sagrados da autoindulgência, você pode abrir ainda mais espaço para a pausa e o cuidado consigo mesmo. As grandes marcas de spas mundiais dão um show nesse quesito – caso da Clinique la Prairie (laprairie.ch), ultrapremiado spa na Suíça. A marca é conhecida pelos cosméticos supersofisticados – o mais famoso é feito à base de caviar. No spa, o nível de luxo não é inferior. Toda a tecnologia que a La Prairie utiliza em seus produtos também serve aos hóspedes do spa. Terapia celular e bem-estar holístico são duas de suas bandeiras, associadas à proverbial hospitalidade suíça.

 

As cidades que cuidam de quem mais precisa
Há lugares onde moradores e visitantes são tratados
de maneira exemplar, com acessibilidade para todos.

 

 

Dublin, Irlanda
Uma das mais antigas cidades da Europa, famosa pelo uísque, pela Guinness e pelo U2, é também um exemplo de acessibilidade. Os meios de transporte e a maior parte das atrações estão preparados para receber pessoas com necessidades especiais. Mesmo em cadeiras de rodas, por exemplo, não é difícil passear pela Grafton Street, a mais conhecida rua de compras. As calçadas costumam ser largas e fáceis de transitar. Embora seja uma capital plana, alguns paralelepípedos no centro histórico e colinas nos arredores não representam maior problema diante da facilidade de visitar o Dublin Castle (dublincastle.ie), a Old Library do Trinity College (tcd.ie/library/old-library) ou o Temple Bar (thetemplebarpub.com).

 

 

Berlim, Alemanha
Visitar a vibrante capital não é empecilho para nenhum tipo de viajante. Em 2013, Berlim recebeu da Comissão Europeia e do Fórum Europeu de Deficiência o prêmio Cidade Acessível. O centro de turismo estimula sítios históricos, hotéis, restaurantes, lojas, espaços de arte e cultura em geral a criarem condições para que todos possam usufruir do melhor da cidade, sem barreiras. Muitos museus têm seções de obras táteis, por exemplo, e oferecem tours específicos segundo a necessidade do grupo. Atualizações e novidades estão no site www.visitberlin.de/en/accessible-berlin e pelo app accessBerlin, disponível para Android e iOS.

 

 

Seattle, Estados Unidos
A cidade que brilha no seriado Grey’s Anatomy (quem nunca sonhou em subir aquela torre ou pegar aquele ferry?) costuma brilhar também nos rankings de acessibilidade. Não é como Nova York ou Boston, por exemplo, que batalham para modernizar estações e trens do metrô e, a duras penas, tentam incluir a todos. Seattle já cresceu tendo em mente os que mais precisam. Por isso, todo seu sistema de transporte é acessível. Visitar o Centennial Park (portseattle.org/places/centennial-park), à beira-mar, é uma boa maneira de curtir a cidade, sem se preocupar com buracos nas calçadas ou caminhos tortuosos.

 

 

Bonito, Mato Grosso do Sul
O maior exemplo brasileiro de inclusão para visitantes com necessidades especiais atende por um adjetivo: Bonito. É um glorioso exemplo nacional mostrando que natureza e esportes radicais podem andar de mãos dadas com a diversidade. Rapel e rafting estão entre as atividades mais conhecidas. Mas você sabia que há guias treinados e passeios seguros para todos, como a flutuação no Rio Sucuri? Mais ainda, a cidade está equipada com rampas, sinalização, piso antiderrapante, piso tátil, calçadas largas… Tudo para receber o viajante especial de forma segura e respeitosa.