Práticas corporais alternativas: entenda como exercitar corpo e mente.

Saiba como você pode adotar cuidados físicos e mentais para aliviar o estresse e criar uma rotina mais saudável.

Publicado por administrador

27 de julho de 2022

Você tem o hábito de se exercitar regularmente? É provável que você e muitas pessoas respondam não para essa pertenta. Já que a rotina pode fazer com que, às vezes, fique bem difícil praticar algum tipo de atividade física. Para que o hábito seja criado, é necessário escolher uma atividade da qual gostamos, para que seja mais fácil manter a constância.

Quando não damos atenção para a prática de atividades físicas, sentimos os efeitos negativos e os quatro pilares da saúde podem ficar desequilibrados. Uma alternativa pode ser a prática corporal alternativa, que trabalha a saúde física e mental, melhorando a qualidade de vida.

Para saber mais, continue lendo! Nesse texto vamos falar sobre:

• o que são práticas corporais alternativas;
• quais as principais terapias alternativas;
• conhecendo a meditação;
• diferenças e benefícios de pilates e yoga;
• entendendo a relação entre acupuntura, reiki e shiatsu;
• a medicina tradicional e as terapias alternativas.

Vamos lá?

 

O que são práticas corporais alternativas

Existem diversas maneiras para trabalhar o corpo. Naturalmente, nós temos mais contato com os métodos mais tradicionais, como musculação, corrida, danças e lutas, por exemplo. Mas existem, também, as práticas corporais alternativas, que estimulam o corpo a partir de outra perspectiva.

A diferença das práticas alternativas para as tradicionais é a união entre corpo e mente, estimulando essas duas áreas. A maneira como isso acontece é pelo foco na respiração. Os exercícios estimulam a inspiração e expiração mais lenta e consciente, trabalhando a mente e ajudando a aliviar o estresse.

Essa junção corpo e mente oferece às práticas corporais um caráter holístico muito forte. Isso porque, diferente da medicina ocidental tradicional, baseada em dividir o conhecimento em especializações, esses métodos terapêuticos surgiram no oriente, onde costumava-se trabalhar e interpretar o organismo como um todo.

O surgimento dessas práticas, aliás, é um ponto muito interessante. No geral, surgiram na China, Japão ou Índia e algumas delas têm mais de 5.000 anos. Outras são mais recentes ou foram reformuladas, como é o caso do pilates ou a eletroacupuntura.

A abordagem integral e a preocupação muito particular com a respiração, consciência e mente, trouxeram muitas novidades para a perspectiva ocidental sobre saúde. Para ter uma ideia, muitas dessas práticas estão sendo testadas e modificadas para atuarem como tratamentos alternativos para a depressão.

Agora que já sabemos o que são, vamos entender as principais práticas corporais alternativas.

 

Quais as principais terapias alternativas

Como foram criadas há milênios, existem muitas opções, que podem ser aplicadas em conjunto para fins diferentes.

Apesar de todas terem um que de meditação, vale mencionar que a meditação por si só já se configura como uma prática alternativa. Além de ser muito estimulante, existem métodos diferentes para fazê-la.

Seguindo nessa linha, temos o yoga e o tai-chi-chuan, que oferecem a mesma atenção para as emoções e os pensamentos internos, mas adicionando mais movimentos e posturas.

Muito confundido com o yoga, há também o pilates, uma atividade voltada para o fortalecimento e controle de diferentes grupos musculares.

Com raízes ainda mais fortes na terapia e no lado espiritual, há ainda outras possibilidades: o reiki, técnica baseada na transferência de energia; a acupuntura, que consiste na inserção de agulhas em pontos específicos da pele; e a massagem shiatsu, que significa literalmente “pressão com os dedos”.

O ponto principal que une todas essas práticas corporais tão diferentes é, novamente, ter um foco no corpo ao mesmo tempo em que há um cuidado com a mente. Para a sociedade atual, que carece de tempo, é muito precioso poder cuidar de ambos ao mesmo tempo.

 

Conhecendo a meditação

Dentre as práticas milenares, a meditação é uma das mais antigas e difundidas atualmente. Uma grande vantagem é a sua versatilidade: você pode meditar em casa ou em lugares específicos, sozinho ou acompanhado, com alguém guiando ou não.

Meditar é, basicamente, se voltar para si mesmo e focar no aqui e agora. É justamente a subjetividade dessa prática que permite a existência de tantas possibilidades de onde ou como meditar.

Além disso, a meditação tem diversos benefícios comprovados:

• aumento na capacidade de concentração;
• diminuição do cortisol (hormônio do estresse);
• fortalecimento do sistema imunológico;
• melhora na memória e inteligência;

Com tantos benefícios, não é surpresa saber que essa prática corporal tem sido muito estudada como tratamento alternativo para depressão e outros transtornos mentais. E, para quem tem uma rotina estressante, a meditação é um dos caminhos para o bem-estar.

Justamente por ser um exercício tão livre, existem vários tipos de meditação. A lógica não é sobre qual é melhor ou pior, mas qual combina mais com seus objetivos atuais. É interessante conhecer os diferentes modelos para escolher o mais adequado para você.

 

Diferenças e benefícios de pilates e yoga

É comum que muitas pessoas se confundam quando o assunto é pilates e yoga, pois ambas são alternativas para a dor. Até mesmo para quem entende a diferença, pode ser difícil escolher uma das duas.

O pilates, diferentemente da maioria das outras práticas corporais alternativas, surgiu durante a Segunda Guerra Mundial. O médico Joseph Pilates desenvolveu o método que recebeu o seu nome com o objetivo de auxiliar na recuperação de soldados feridos.

Essa prática, muito voltada para o fortalecimento dos músculos, trabalha também com a respiração. Assim, o pilates é muito procurado como tratamento para dores físicas e questões posturais.

Alguns dos benefícios são:

• flexibilidade;
• postura;
• fortalecimento de grupos musculares;
• alívio de dores;
• alívio da ansiedade e do estresse;
• condicionamento físico.

O yoga, por outro lado, é uma disciplina espiritual que surgiu na Índia há 5.000 anos. A prática estimula tanto o corpo, por meio de posturas e movimentos, quanto a mente, por meio da respiração e atenção ao fluxo de pensamentos.

Assim, o yoga é baseado em pilares emocionais, mentais e espirituais. Essa prática oferece várias filosofias, um estilo de vida junto e o aprimoramento físico.

Seus principais benefícios são:

• melhoria na qualidade de vida;
• melhoria do equilíbrio;
• aprimoramento da postura;
• controle emocional;
• autoconhecimento.

Entendendo agora as diferenças e os benefícios entre essas duas práticas, vale a pena refletir e escolher a que faz mais sentido para você.

 

Entendendo a relação entre acupuntura, reiki e shiatsu

Essas três técnicas são bem diferentes, mas é muito comum serem aplicadas em conjunto para melhorar ainda mais o processo terapêutico. Cada uma à sua maneira, elas podem trazer diversos benefícios para a saúde mental, física e bem-estar no geral.

A acupuntura, técnica criada na China há aproximadamente cinco milênios, baseia-se no conceito de que o corpo humano é constituído de fluxos de energia que devem fluir corretamente. Quando são desregulados, podem causar mal-estar.

A maneira de regular a energia vital que corre pelo corpo é com a aplicação de agulhas finas em diferentes lugares do organismo. Essas agulhas criam pressão e, por isso, auxiliam a diminuir o cansaço, as dores no corpo e, é claro, o estresse.

A técnica é tão rica que são vários os tipos de acupuntura. A auriculoterapia consiste na aplicação de agulhas ou sementes de mostarda na orelha dos pacientes. Há também eletroacupuntura, que funciona a partir da aplicação de impulsos elétricos em diferentes partes do corpo.

O reiki, por sua vez, nasceu no Japão e não é uma técnica milenar: diferentemente do que muitas pessoas pensam, surgiu no século passado!

Essa terapia oriental acontece por meio da imposição das mãos do terapeuta sobre o paciente, transmitindo energia e equilibrando o corpo. Parte do processo sugere que o paciente se concentre em alguns princípios específicos, como gratidão e amabilidade, por exemplo.

Essa técnica, assim como a acupuntura, promove o aumento no bem-estar e é muito procurada para a diminuição de dores, insônia, ansiedade e até hipertensão.

Por fim, o shiatsu é uma massagem chinesa que também busca regular o fluxo de energia no organismo humano. A pressão em pontos específicos do corpo com os óleos essenciais promove o relaxamento muscular e mental.

A técnica é muito similar à acupuntura, mas realizada de outra maneira. Mesmo assim, os benefícios são os mesmos: alívio de dores, aumento no bem-estar, melhora na postura e no equilíbrio, entre outros.
Essas três técnicas, por terem princípios e benefícios similares, podem ser realizadas em conjunto, potencializando os resultados.

 

Quais as principais terapias alternativas

Como foi possível perceber, algumas das técnicas têm funcionamento diferente do raciocínio médico-científico ocidental ao qual estamos acostumados. Pode ser que você tenha ido até um profissional de saúde tradicional e não ter recebido instruções sobre o fluxo de energia do seu corpo.

A medicina está sempre se remodelando, oferecendo novas perspectivas e abandonando antigas. A medicina oriental seguiu um caminho muito diferente da nossa. Com o reaparecimento dessas técnicas aqui no Ocidente, a medicina tradicional tem tentado compreender e adotar alguns dos conceitos orientais.

Esse é um processo relativamente recente e o progresso científico não acontece da noite para o dia. Por isso, é importante destacar que um método terapêutico não anula o outro.

Não é só porque a acupuntura tem benefícios para quem tem hipertensão que o paciente deve abandonar as recomendações do seu médico. Na mesma linha, não é só porque o tratamento tradicional está trazendo resultados que uma pessoa não deva experimentar o shiatsu, por exemplo.

A integração conjunta dessas diferentes abordagens pode ser muito valiosa, desde que a medicina tradicional não seja abandonada.

O foco é sempre viver bem, não somente curar doenças. Para isso, sinta-se livre para contar com práticas corporais alternativas e tradicionais, sempre conversando com profissionais especializados para auxiliarem sua caminhada.

Até a próxima!

Deixe seu comentário

Comentário enviado para a moderação.

Por favor aguarde!

Assine nossa Newsletter

E-mail cadastrado com sucesso