Lesões no beach tennis: conheça as mais comuns e como evitá-las

Esporte altamente dinâmico e divertido, o tênis de praia se popularizou no Brasil. No entanto, é preciso ter algumas precauções ao praticá-lo.

Publicado por administrador

25 de julho de 2022

O litoral com mais de 7.000 km de extensão e o clima tropical fazem do Brasil um país naturalmente apaixonado pela prática de esportes na praia: é normal ver as pessoas jogando com a bola na areia ou correndo pela orla. Mas faça frio ou calor, seja em grandes centros urbanos, seja em pequenas praias, o esporte de areia também está presente. Com o beach tennis não seria diferente. O esporte que se popularizou e ganhou força no último ano é uma excelente atividade em família ou entre amigos. E, como qualquer nova modalidade em alta, é preciso tomar cuidado com as lesões.

É sobre essas precauções e cuidados que queremos abordar aqui no Fala Omint. Confira!

1. O que é beach tennis?
2. Quais os benefícios desse esporte?
3. Quais as principais lesões do beach tennis?
4. Como funcionam os tratamentos?
5. Como prevenir lesões?

 

1. O que é beach tennis?

Beach tennis ou tênis de praia é uma modalidade esportiva criada na Itália a partir dos princípios do frescobol. Trata-se de um esporte competitivo que teve suas regras padronizadas em 1996 pela Federação Internacional de Tênis (ITF).

Ele deve ser praticado em quadra de areia, parecida com a do vôlei de praia, com raquete e bolinhas próprias para a prática. A rede fica a uma altura de 1,70 m, podendo chegar a 1,80 m em jogos de determinadas categorias. O objetivo é enviar a bola sobre a rede, em direção ao campo adversário, sem deixá-la cair no seu lado da quadra. Portanto, ao contrário do tênis tradicional, a bolinha não pode quicar do seu lado da quadra.

Existem algumas técnicas importantes relacionadas ao beach tennis, como a forma certa de empunhar a raquete e realizar o saque. Em geral, a raquete deve ficar na altura do ombro e ser segurada como se fosse um martelo, na mão predominante. Também é importante se posicionar de maneira correta na quadra e sempre estar em movimento.

Todas essas características oferecem uma dinamicidade ao esporte. Sua velocidade e ambiente tornam o beach tennis uma atividade divertida que pode ser praticada em qualquer idade e gênero, em duplas ou um contra um. Atualmente, o Brasil é o segundo país com maior número de praticantes da modalidade, perdendo apenas para a Itália, “mãe” do esporte.

Em 2022, registrou-se o crescimento de 12% na presença de brasileiros no ranking da Federação Internacional de Tênis. Em 31 de janeiro deste ano, havia 537 praticantes de beach tennis. Em 18 de abril, o número subiu para 602, sendo 358 homens e 244 mulheres que disputam torneios internacionais.

 

Conheça o Ciclo Beach Tennis, duas quadras disponíveis às margens do Rio Pinheiros para você aproveitar! Faça sua reserva no site.

 

2. Quais os benefícios desse esporte?

Como em qualquer atividade esportiva, o beach tennis traz inúmeros benefícios para seus praticantes. É um esporte de alto gasto calórico por conta da rápida movimentação, acelerando o metabolismo e queimando gordura.

Os movimentos feitos no tênis de praia também permitem trabalhar vários grupos musculares, desenvolvendo e aprimorando a capacidade motora, o que deixa os reflexos mais rápidos.

Outro benefício é em relação à organização mental. Com a necessidade de prontamente reagir às investidas do adversário, o jogador torna-se mais ágil na tomada de decisão e isso pode ser aplicado de forma geral em outras movimentações físicas do cotidiano.

Por último, uma excelente contribuição do beach tennis é a sociabilização. Por ser um jogo possível de ser praticado em duplas e pelo fácil acesso às competições, os praticantes formam comunidades que combinam jogos e encontros, que podem levar a grandes amizades.

Confira em vídeo como aplicar atividades no seu dia a dia para ajudar na saúde mental, com Dr. Nemi Sabeh Jr., profissional credenciado Omint e coordenador médico da Seleção Brasileira Feminina de Futebol:

 

3. Quais as principais lesões do beach tennis?

De acordo com o Dr. Breno Schor, médico credenciado Omint especializado em ortopedia, traumatologia e cirurgia do ombro e cotovelo, as lesões no beach tennis geralmente ocorrem pelo aumento alto de carga. Essa sobrecarga acontece quando a pessoa está sedentária e começa a praticar um esporte de grande movimentação.

“O início de qualquer atividade física deve ser estimulado. Se você realiza um esporte que lhe dá prazer, é possível associar uma atividade base para oferecer maior segurança, como musculação, pilates, treinos funcionais e inúmeras outras opções de preparo físico”, explica.

A maior parte das lesões que acontecem no beach tennis não é grave nem cirúrgica. Pode-se corrigir com fisioterapia, regulação da intensidade do treinamento, fortalecimento adequado e melhora técnica. Na modalidade, as lesões cirúrgicas são por trauma – diferente do tênis em que as lesões progridem ao longo do tempo.

O especialista também alerta para o ambiente do beach tennis. A areia, por ser irregular, pode trazer maior risco de torção no tornozelo e no joelho. “Por outro lado, é uma superfície muito mais macia, em que você dificilmente terá grandes escoriações e contusões por impacto. Você pode se jogar e não tem grande risco de se machucar”, pontua Dr. Breno.

As principais lesões do beach tennis são relacionadas aos membros superiores. Pelo fato de ser uma modalidade que se joga muito com o braço elevado, podem ocorrer lesões no ombro, como tendinopatias ou tendinites – o tendão supraespinhal cabo longo do bíceps é o mais afetados.

No cotovelo, a lesão mais comum é a entesite, inflamação da entese (o local onde um tendão ou ligamento se liga ao osso). Segundo Dr. Breno, isso se dá principalmente por conta do equipamento do beach tennis não ter regulagem, oferecendo poucas opções de ajuste para cada indivíduo.

 

4. Como funcionam os tratamentos?

Os tratamentos podem variar para cada caso e podem ser indicados diversos tipos de cuidados. No entanto, de acordo com David Homsi, fisioterapeuta esportivo, educador físico e membro da Confederação Brasileira de Beach Tennis e fisioterapeuta credenciado Omint, ao primeiro sinal de dor é preciso buscar um especialista. Mas também é essencial saber diferenciar a dor da prática esportiva da dor de lesão.

“Utilizamos o corpo todo para jogar o beach tennis e, com isso, no dia seguinte é possível sentir uma dor muscular generalizada. No entanto, se a dor persistir por dois, três dias, ou é uma dor incapacitante, aí é provável que seja uma lesão”, descreve. Por isso, quanto mais precoce for o diagnóstico, mais rapidamente será possível tratar e retomar a prática.

“Nossa cultura é de procurar ajuda quando a lesão ou a doença já estão instaladas. Mas mesmo atletas amadores devem ter um acompanhamento preventivo e multidisciplinar. É importante consultar profissionais como cardiologista, endocrinologista, ortopedista e nutricionista para poder aproveitar os benefícios do esporte”, aponta.

Para evitar lesões logo nos primeiros jogos, Homsi indica: “o que eu falo para todos que querem praticar o beach tennis é que aprendam primeiramente a técnica para só depois aplicar força nos movimentos. É preciso sentir o seu preparo físico e o nível de confiança para realizar um aumento de carga”.

 

5. Como prevenir lesões?

O médico Breno Schor alerta os “atletas de fim de semana” para que tomem cuidado para não investir na prática do esporte em um único dia, pois essa sobrecarga deixa o corpo mais vulnerável. É importante destacar, portanto, que as lesões ocorrem por sobrecarga ou por erro técnico. E a prevenção a esses danos é fazer atividades regulares e iniciar no beach tennis de forma gradual, bem como ter aulas com profissional para aprender os golpes sem o risco de se expor a uma lesão.

Além disso, na preparação física é interessante ter foco nos exercícios de estabilização da escápula das costas e de fortalecimento dos antebraços. Para seguir de maneira segura e tornar o tênis de praia parte dos bons hábitos, a indicação é ter o aumento de carga de 15% a cada 3 semanas. “Isso serve para treinamentos dos mais diversos possíveis. É importante ter um dia de intervalo com descanso para não induzir à fadiga”, destaca Schor.

Outra dica dos especialistas é sempre realizar exercícios relacionados a biomecânica do jogo. “O aquecimento hoje é um alongamento ativo, utilizando os movimentos do esporte. Movimentos da modalidade sem o equipamento, deslocamentos laterais com amplitude maior das pernas, agachamentos… Ou seja, fazer os movimentos do beach tennis para se aquecer. Isso previne lesão, pois você está fazendo o movimento do esporte”, detalha Homsi.

A prática do beach tennis pode ser uma excelente aliada para quem ainda não tem o hábito de realizar atividades esportivas. No entanto, David Homsi lembra que se manter ativo deve ser uma premissa independentemente da escolha do esporte e de objetivos estéticos. Junto a qualquer modalidade, é possível realizar outras atividades de acordo com o ambiente em que cada pessoas está inserida, como yoga, natação e caminhadas.

Deixe seu comentário

Comentário enviado para a moderação.

Por favor aguarde!

Assine nossa Newsletter

E-mail cadastrado com sucesso