Bem-estar corporativo: guia completo para você implementar a gestão humanizada

Ações ligadas à saúde mental são benéficas tanto para os funcionários quanto para a empresa

Publicado por administrador

22 de julho de 2022

Saúde mental e bem-estar nunca estiveram tão em alta como nos últimos anos. O tema ganhou ainda mais destaque com a pandemia do coronavírus e a recessão econômica, e tem se tornado uma crescente preocupação corporativa. Desde então, manter um ambiente e uma rotina saudável de trabalho tem sido uma grande prioridade para as empresas, uma vez identificado todos os benefícios dessa prática.

O tema sempre foi uma preocupação, mas com a pandemia, acabou agravando-se ainda mais, pela instabilidade econômica gerada e a falta de organização de uma rotina para quem trabalhava de casa, podendo levar a uma carga muito maior de tarefas e a exaustão.

A partir disso, começou a falar-se muito sobre transtornos mentais, com destaque para a Síndrome de Burnout, que é classificada pela Organização Mundial de Saúde como fenômeno ocupacional, já que a sobrecarga de trabalho pode levar ao esgotamento físico e mental, além de estresse extremo. Dessa forma, as companhias passam a ter papel fundamental na manutenção da saúde emocional e da qualidade de vida de seus funcionários.

Para melhorar o ambiente organizacional e promover o conforto físico, emocional, financeiro e social de seus colaboradores, é preciso desenvolver uma estratégia assertiva. Ao longo deste artigo, você vai ter um panorama sobre a saúde mental no Brasil e no mundo, como a questão impacta no trabalho, como desenvolver uma estratégia para elevar o bem-estar corporativo e dicas para melhorar o ambiente laboral.

 

Saúde mental no Brasil e no mundo, e o impacto no ambiente de trabalho

A saúde mental é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar e desenvolver as próprias habilidades, lidar com o estresse cotidiano, ser produtivo e contribuir com a comunidade.

Segundo a OMS (2019), a epidemia de estresse atinge 90% da população mundial. Já a ansiedade afeta 18,6 milhões de brasileiros e os transtornos mentais são responsáveis por mais de um terço das pessoas incapacitadas nas Américas.

Mesmo antes da pandemia do coronavírus, quase 1 bilhão de pessoas no mundo viviam com algum transtorno mental. O cenário pandêmico agravou a situação, influenciando diretamente na multiplicação dos casos de transtornos depressivos e ansiosos, resultando no aumento de 25% no primeiro ano após o surgimento da Covid-19, como mostra o Relatório Global sobre Saúde Mental divulgado em junho de 2022 pela OMS.

Tais transtornos causam prejuízos individuais, sociais e econômicos. A pesquisa Wellbeing Diagnostic 2021, realizada em escala global pela consultoria Willis Towers Watson com participação de 186 empresas brasileiras, revela que o estresse é o fator que mais afeta as forças de trabalho (79%), seguido por depressão e ansiedade (69%) e pelo sedentarismo (63%).

Dados reunidos pelo Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho ilustram esse efeito ao mostrar que 10% dos afastamentos não acidentários no Brasil, entre 2012 e 2021, estão associados a doenças mentais e comportamentais, totalizando 2.042.814 casos.

 

A importância de investir no bem-estar dos colaboradores

É fato: a saúde emocional dos funcionários impacta diretamente uma empresa. Por isso, é importante estar atento para lidar ativamente com questões referentes ao tema.

O capital humano é o maior bem de uma organização. São as pessoas que fazem a empresa funcionar de forma fluida e é essencial valorizá-los, para que sigam saudáveis, engajados e se sintam recompensados. Isso é possível com a criação e a manutenção de um ambiente harmônico, focado na saúde e na segurança dentro do trabalho.

Trabalhadores mais estimulados são mais prósperos e comprometidos, consequentemente têm melhor performance, o que leva a resultados positivos e à maior satisfação no trabalho e na carreira. Segundo o site Você RH, tal informação é reforçada por uma pesquisa da Harvard Business Review, que revelou que colaboradores satisfeitos são 31% mais produtivos, 85% mais eficientes e 300% mais inovadores.

 

5 benefícios de implementar o bem-estar corporativo

Confira outras vantagens de promover o bem-estar na rotina organizacional e humanizar as relações profissionais, se aproximando do colaborador e colocando seus interesses como prioridade.

1. Redução do absenteísmo: o absenteísmo se refere à ausência do colaborador, por horas ou dias, no ambiente de trabalho e pode estar atrelada a problemas de saúde física ou mental e até mesmo à falta de motivação. A ausência desse funcionário afeta a eficiência dos processos, deixando outros sobrecarregados, e pode inclusive impactar a motivação das demais pessoas do time. Funcionários saudáveis, dispostos e satisfeitos com o trabalho se sentem mais motivados a não se ausentar e a apresentar melhores resultados.

2. Prevenção do presenteísmo: o presenteísmo se refere ao fenômeno em que o funcionário está de corpo presente no trabalho, mas por diversos motivos – inclusive saúde mental – não consegue se dedicar completamente às suas atividades, com desempenho abaixo de sua capacidade. Com a propagação de iniciativas que priorizam o bem-estar de seus funcionários, junto a treinamentos, capacitações e descrições objetivas do trabalho, você desenvolve um ambiente de acolhimento e apoio ao colaborador, além de identificar mais facilmente um colaborador adoecido.

3. Melhora do clima organizacional: com o olhar mais humanizado para as relações entre a empresa e os profissionais, os colaboradores se sentem mais motivados, felizes e satisfeitos com seu local de trabalho. Assim os níveis de estresse são reduzidos, a produtividade aumenta e você desenvolve uma força de trabalho mais resiliente.

4. Redução no número de acidentes de trabalho: ações de bem-estar no ambiente profissional funcionam também como prevenção para acidentes de trabalho. Um descuido do colaborador na realização de uma tarefa pode acontecer por diversos fatores, entre eles falta de atenção, estresse, ansiedade, cansaço, dores crônicas ou fraqueza muscular. Assim, a promoção de hábitos saudáveis, a redução dos níveis de estresse e o combate ao sedentarismo por parte da empresa beneficiam a performance.

5. Retenção de equipe e atração de novos talentos: levantamentos da Great Place to Work (GPTW) apontam que 3 a cada 10 funcionários priorizam a qualidade de vida para se manter em uma organização. Se a empresa valoriza a experiência do colaborador, viabilizando e protegendo sua saúde mental, torna o ambiente de trabalho mais harmônico e promove o sentimento de pertencimento. O funcionário se sente reconhecido, compartilha o propósito da empresa, visualiza oportunidades efetivas de crescimento, bem como de novos desafios, o que fortalece o vínculo positivo com a organização. Novos talentos são atraídos pela reputação da empresa, pela gestão humanizada que leva ao bom clima e pela cultura organizacional, fomentando também a inovação.

Saiba mais sobre atração de novos talentos aqui.

 

Como desenvolver uma estratégia efetiva de bem-estar na empresa?

A pesquisa Wellbeing Diagnostic 2021, da Willis Towers Watson, mostra que os principais desafios para a implementação eficaz de programas de bem-estar nas empresas são o aumento de custos, o apoio financeiro insuficiente e a falta de dados para mensuração de resultados.

É preciso ter em mente que promover a valorização da saúde mental e do bem-estar de seus funcionários não é um gasto extra, mas um investimento. Segundo estimativas da OMS (2016), que levam em conta a repercussão das doenças mentais na produtividade e no absenteísmo, há o impacto negativo de US$ 1 trilhão para o PIB mundial. A instituição estima que, a cada US$ 1 investido em prevenção dos transtornos, o retorno é de US$ 4.

Agora que você já sabe as inúmeras vantagens de investir na qualidade de vida dos colaboradores, é primordial desenvolver a pesquisa de clima organizacional, que irá guiar as ações de bem-estar corporativo que serão implementadas na sua empresa.

É importante gerar relatórios e diagnósticos sobre o ambiente de trabalho e capacitar lideranças para a gestão mais humanizada, acessível e acolhedora. Também é imprescindível normalizar o assunto “saúde mental” e trazer os líderes para darem o exemplo, falando ativamente com suas equipes sobre o tema e mantendo um canal de comunicação sempre aberto.

Além disso, você deve se atentar aos indicadores que irão mensurar o bem-estar corporativo de forma técnica e menos subjetiva. Dados e números como o Employee Satisfaction Index (ESI) – que mede a satisfação dos funcionários no ambiente atual de trabalho, o absenteísmo (nível de atrasos e ausências) e o turnover (taxa de rotatividade dos colaboradores) – devem ser levados em conta para orientar suas ações.

 

Colocando o bem-estar corporativo em prática

Trouxemos algumas dicas simples para que você possa implementar práticas bem-sucedidas de saúde emocional dentro da sua empresa. Confira abaixo!

· Ofereça infraestrutura adequada: providencie o que é fundamental à rotina de trabalho dos seus funcionários, desde mesa, cadeira e computador, até os acessórios periféricos necessários. Se atente também às condições de temperatura, ventilação, iluminação, higiene e às áreas comuns, como cozinha. Espaços de conforto e socialização também contribuem para elevar os níveis de bem-estar.

· Estimule a prática de atividades físicas: a inserção do movimento e a prática de atividade física na rotina dos colaboradores, podem estimulá-lo. Por isso, promova iniciativas como programas internos, alongamentos no espaço de trabalho ou patrocínio ao desenvolvimento de atividades.

· Enfatize a importância da saúde mental: normalizar o assunto, aumentando a difusão do tema pelos gestores, ajuda a quebrar o estigma em torno dos transtornos mentais. Invista em benefícios como aconselhamentos para seus colaboradores.

· Celebre conquistas e datas especiais: uma atitude simples e que ajuda facilmente a diminuir o estresse do dia a dia. Comemorar as pequenas conquistas faz com que os trabalhadores se sintam reconhecidos e mais engajados. Brinde a projetos e metas alcançadas. Vale lembrar aniversários e datas de trabalho e comemorativas.

· Invista no desenvolvimento profissional: como já trouxemos aqui no blog, apostar no desenvolvimento pessoal e profissional de quem faz parte da sua empresa é essencial para que os colaboradores se tornem mais criativos e inovadores, além de apresentarem maior índice de performance e se manterem interessados no trabalho.

· Promova o respeito mútuo: melhores relacionamentos entre as pessoas, principalmente dentro das equipes, levam a um maior desempenho. Os gestores devem ser empáticos e precisam olhar para os membros da equipe de forma individualizada, além de serem preparados para identificar possíveis sinais de desestabilização mental e saberem incentivar a busca pelo cuidado com a saúde mental.

· Flexibilize os horários e entregas: flexibilizar o cumprimento de horário, o estabelecimento de prazos e a execução de tarefas levam a maior produtividade e proximidade entre funcionário e empresa.

Agora que você tem em mãos as principais informações para valorizar e promover o bem-estar de seus funcionários, já é possível tirar as ideias do papel e promover maior produtividade para a empresa.

No nosso e-book trazemos insights sobre o futuro do RH para auxiliar você na implementação de uma gestão mais humanizada.

Agradecemos a leitura e deixamos o convite para que você confira nossos outros artigos de

Deixe seu comentário

Comentário enviado para a moderação.

Por favor aguarde!

Assine nossa Newsletter

E-mail cadastrado com sucesso